METODOLOGIAS DIFERENTES PODEM DAR RESULTADOS DIFERENTES

0 Comment
146 Views

O Governo Central prevê atribuir aos camponeses de todo o país 5 milhões de títulos de DUATs no presente quinquénio. Mas as metodologias usadas para atingir tal meta podem estar por detrás de alguns conflitos de terra que ocorrem em algumas comunidades e famílias um pouco por todo o país.

Na passada sexta-feira, 27/09, a ORAM Nampula participou de uma reunião de auscultação das partes (Verde Azul, governo local, líderes comunitários e membros da comunidade) onde o pano de fundo era um conflito de terra que surgiu supostamente pela delimitação de parcelas familiares e individuais na comunidade de Noré. Noré é uma comunidade localizada na Localidade com o mesmo nome, no Posto Administrativo de Iapala, no Distrito de Ribaue, na Província de Nampula.

Tudo começou quando a consultora Verde Azul, contratada pelo Programa SUSTENTA para fazer delimitações em 5 distritos da província de Nampula, entrou na comunidade de Noré e fez sensibilização e posterior delimitação de parcelas familiares e individuais para o Programa Terra Segura. Depois do trabalho da Verde Azul, começou um conflito de terra na comunidade entre membros da comunidade e membros da mesma família que degenerou em violência. “A comunidade está dívida. Aquelas pessoas que tinham emprestado machambas foram escorraçadas e algumas pessoas foram catanadas” – régulo de Quirini.

Durante o encontro de auscultação ficou claro que metodologias diferentes dão resultados igualmente diferentes. A metodologia de sensibilização durante as actividades da Verde Azul pode estar por detrás da situação. “Nós pensávamos que está delimitação de machambas era para nós darem dinheito” – disse um membro da comunidade durante o encontro.

A ORAM irá acompanhar esta situação até ao fim.